Membros do comitê ouviram explanações sobre os trabalhos que serão realizados

Para diversificar a economia e pensar em alternativas para o desenvolvimento econômico do município, a Associação Comercial, Industrial e de Prestação de Serviços de João Monlevade (Acimon) criou o Comitê Permanente de Desenvolvimento Econômico e Social (CP10), na noite da última terça-feira (2).

A iniciativa nasceu após o governo municipal não ter se interessado em tempo hábil, para desenvolver o programa Pró-Município, apresentado no ano passado, em parceria com a Federaminas e a Codemig. Apenas 28 cidades do Estado receberam a oportunidade de trabalharem com consultoria e ações totalmente custeadas pelas entidades. Mas em João Monlevade, a Prefeitura sequer avançou em pontos iniciais para desenvolver o projeto.
Mesmo assim, a Acimon decidiu levar a ideia adiante, através da criação do Comitê Permanente. O grupo é formado por representantes de 27 entidades, empresas e instituições públicas e privadas, que busca criar e desenvolver alternativas para o fomento da economia local, a partir de um diagnóstico, com as principais carências, demandas e também oportunidades para João Monlevade.

O CP10 é um órgão independente, mas que conta com apoio irrestrito da Acimon. No entanto, suas decisões a respeito de projetos e propostas serão deliberativas, votadas em assembleia. O grupo vai discutir e propor a execução de pautas desenvolvimentistas a partir da formação de Câmaras Técnicas, compostas por membros efetivos e também convidados.

O presidente da Acimon, Cássio Evangelista Barros, destacou a importância da proposta e indicou como presidente do Comitê, o diretor da Acimon, David Roosevelt Linhares Júnior. Segundo Cássio, David sempre defendeu a continuidade da iniciativa, mesmo sem a participação efetiva do município. Em sua fala, David Júnior destacou que o Comitê vem para somar com João Monlevade, a partir das discussões e implementações de ideias para o desenvolvimento municipal. O presidente citou o exemplo de cidades menores, que implementaram órgãos semelhantes e conseguiram avançar na criação de emprego e diversificação da economia. “Com a participação e o envolvimento de tantas lideranças voluntárias, vejo um bom futuro para a iniciativa”, destacou o presidente do CP10. (Fonte: A Notícia).

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário